Saturday, September 20, 2008

Braga: Geraldo de Moissac morreu há 900 anos


Geraldo de Moissac, nasceu numa família nobre, muito religiosa, na Diocese de Cahors, em França.

Mas sabe-se que o então jovem Geraldo professou na Abadia Clunycence de Moissac . Foi um erudito, com uma grande cultura e é considerado o grande arcebispo que reorganizou a cidade de Braga. Morreu no dia 5 de Dezembro de 1108 e esta série de artigos que hoje inciamos tem o humilde objectivo de assinalar os novecentos anos da sua morte. É um tema que não interessa apenas aos bracarenses, mas a todos os minhotos, uma vez que ele foi um dos grandes arcebispos de uma diocese que ia desde o rio Ave até ao rio Minho e “mergulhava” em terras transmontanas.

Hoje sintetizamos apenas alguns dados sobre a sua vida e obra mas é nossa intenção trazer aqui o antes, o durante e o depois do espiscopado desenvolvido por S. Geraldo. digno herdeiro de prelados como S. Frutuoso ou S. Martinho de Dume.
Em 1096 é nomeado Bispo, Arcebispo de Braga, tendo-se empenhado em elevar o nível cultural, religioso e moral do clero e do povo.

Durante 12 anos apoiou o conde D. Henrique, foi 2 vezes (em 1100 e 1103) a Roma, uma delas acompanhando o conde. Assim, este homem da Igreja é um dos "pioneiros" da fundação de Portugal, através de esforços para obter junto de Roma a restauração da metrópole (Arcebispado de Braga), com autonomia eclesiástica, assumindo assim uma dimensão que ultrapassa os muros da ‘civitas bracarensis’.

É o padroeiro de Braga que celebra a sua festa no dia da sua morte, a 5 de Dezembro de 1108 e está sepultado na Capela de São Geraldo na Sé Catedral de Braga.

Assinalam-se-ão, pois, em 2008, os 900 anos da morte do Padroeiro de Braga e nós, além de lembrar esta eminente figura de Braga, queremos alertar boas vontades para condignas celebrações.

A evocação do Padroeiro de Braga deve servir também para evocar a ligação íntima da sua História — passado, presente e futuro — ao papel que vem sendo assumido pela Igreja, enquanto motor do desenvolvimento do Concelho nas mais diversas vertentes, ao longo dos últimos 900 anos.

A primitiva Capela de São Geraldo, da qual apenas resta a estrutura das paredes, foi mandada construir pelo arcebispo Geraldo de Moissac, em honra de são Nicolau.

Em 1418-1467 o arcebispo D. Fernando da Guerra, depois de Geraldo ser considerado santo, dedicou a Capela a este arcebispo de Braga, e o santo sepultado no retábulo principal.

A capela está decorada em talha barroca. Os azulejos são atribuídos ao pintor António de Oliveira Bernardes (1662-1731). No dia da festa, o altar fica repleto de fruta, numa alusão aos seus últimos momentos de vida.

S. Geraldo, o organizador da cidade de Braga depois do período da reconquista, “no cumprimento do seu dever pastoral e nobre desempenho da sua missão”, já doente, arrastou-se até Bornes, concelho de Vila Pouca de Aguiar, onde consagrou a Igreja, pregou e administrou o Sacramento do Crisma, “ e no dia 5 de Dezembro de 1108, reunidos os padres da sua comitiva, deu-lhes a bênção, ouviu Missa, comungou e morreu, voando a sua alma gentil ao céu, para viver com Deus”.

Assim Mons. José Augusto Ferreira descreve nos “Fastos” a morte de S. Geraldo. Acontecida no dia 5 de Dezembro de 1108.
Os tempos são outros e os âmbitos de intervenção alteraram-se. O tempo do Senhorio dos Arcebispos está, graças a Deus, ultrapassado mas resta o dever de rever o relacionamento entre o poder político e o serviço religioso. ecomo natural e humana, esta proposta eclesial.

Esta série de textos que hoje iniciámos apenas pretende contribuir, dentro do possível, para que todos os bracarenses e minhotos se preparem para celebrar — como deve ser — os 900 anos da morte de S. Geraldo e delas se retirem abundantes frutos para toda a comunidade minhota.
Ou nós não conhecemos — e perdoem-nos a ignorância — ou a Igreja, a autarquia e as instituições de Braga não têm apetite para assinalar esta data emblemática do passado da Roma Portuguesa.

2 comments:

CÁ FICO said...

Folgo em ver o bom trabalho que tem feito...

...continue...

Ricardo Rio said...

http://bracara2009.blogspot.com/2007/12/dia-de-s-geraldo.html