Saturday, October 18, 2008

Braga: fazer obras é prioridade gasta




Desde o ano lectivo 2006 até agora, já encerraram no concelho de Braga oito escolas do 1.º ciclo do ensino básico. O jornal Correio do Minho, através da jornalista Paula Maia, está a mostrar-nos como estão a ser aproveitadas as estruturas destes estabelecimentos de ensino, alguns sujeitos a obras de intervenção pouco antes de encerrarem portas.

No que se refere à escola de Macada, em Vimieiro, já está decidido que acolhe o Grupo Folclórico. Foi uma das primeiras escolas do concelho de Braga a encerrar por falta de alunos, após ter sofrido obras de requalificação.

A Escola da Bela Vista, em S. Pedro d’Este, encerrada no passado ano lectivo, será destinada para fins sociais.
Composta por duas salas de aula, refeitório e uma sala que outrora serviu de mediateca, também sofreu avultadas obras em 2005 que a dotara de “muito boas condições”.

Também a Escola dos Pardieiros, em Penso S. Estêvão, foi uma das primeiras escolas a encerrar em Braga, após requalificação que custou 125 mil euros. Agora vai gastar-se mais dinheiro para adaptar a antiga escola a Centro de Dia.
Estamos perante consequências de dois factos negativos: o primeiro consiste na falta de alunos tem ditado o encerramento de escolas no 1.º ciclo do ensino básico em todo o país.

O segundo facto negativo é a comprovada falta de planeamento dos investimentos: gastaram-se várias centenas de milhares de euros em obras que permitiram a construção de refeitórios, cozinhas, espaços desportivos para fechar um ou dois anos depois, quando a tendência de alunos evidenciava a sua vertiginosa queda.

Depois de tantos colóquios, de tantos alertas antes de começarem os mandatos nos programas eleitorais, os nossos autarcas continuam a dar prioridade a obras, quando lhes pediram para dar prioridade às pessoas.

As necessidades de recreio, de cultura, de desporto, de lazer, de apoio solidário dependem de obras mas satisfazem-se sobretudo quando os autarcas perceberem a necessidade de congregar vontades, dinamizar associações e mobilizar os cidadãos.

É um trabalho mais difícil que dar trabalho aos empreiteiros? É, mas é mais rentável para a qualidade de vida das pessoas.
Investir em obras nas escolas condenadas a fechar pode ter sido o primeiro passo da sua condenação política se não ressuscitarem novos modelos de intervenção pública que dêem vida aos recintos culturais, desportivos e equipamentos de lazer, quanto deles fechados, inactivos e abandonados.

Tantas vezes alertamos para este mofo que invade centros culturais, para ervas e arbustos em campos de futebol e piscinas e polivalentes sem actividade.

É urgente instituir outras "comissões" que dinamizem actividades para a comunidade. Só se fará se abandonarmos a prioridade às comissões de obras. Ainda estão a tempo de recuperar estes anos de espera de modo a evitar mais uma oportunidade perdida.

4 comments:

loader rentals said...

im your favorite reader here!

hitachi excavator said...

well its nice to know that you have great hits here.

skid steer loader said...

im here because of few cents for you. just dropping by.

yanmar excavator said...

i think you add more info about it.